Peixe morre pela cera e Vasco agradece

A bola rolou em São Januário para mais noventa minutos de sufoco para os vascaínos no sábado. O adversário seria o Santos, time que não faz um grande Brasileirão, e ainda por cima tinha uma distância não muito confortável da zona da degola. E obviamente o jogo foi muito sofrido.

O Vasco foi logo para cima e desperdiçou muitas chances, enquanto o Santos, bem, só no primeiro tempo o Fábio Costa foi atendido umas três vezes pelo departamento médico do Peixe. Cada chute a gol eram cinco minutos de jogo parado. Parecia uma final de campeonato com o time da Vila jogando com a vantagem do empate. Partida amarrada com o time da casa chegando algumas vezes com certo perigo e o visitante (leia-se Kléber Pereira) chegando raras vezes com muito perigo.

O primeiro tempo se foi e no segundo só o uniforme mudou. O Vasco continuava pressionando, mas, evidentemente faltava um organizador ao time. Com Edmundo no banco cabia a Mádson que corre mais do que pensa, e isso não é uma crítica, organizar as jogadas. Leandro Amaral também se esforçava e nos momentos em que a bola parecia querer entrar, Fábio Costa estava lá para defender e se machucar.

Enquanto isso, o juizão da partida deixava o Santos fazer cera a vontade. Aí veio a hora do técnico do Vasco, provocar calafrios no torcedor do clube. Allan Kardec foi para o aquecimento e estava pronto para entrar, se o gol ainda não tinha saído com o grandalhão em campo ficaria mais difícil. Foi quando Jonílson, o melhor em campo, recebeu uma bola na entrada da área e caiu. Pênalti! Confesso que tenho as minhas dúvidas. Não tenho certeza se houve falta e ainda tive a impressão do lance ter ocorrido fora da área. Mas, a imagem do replay deixou a desejar e não suprimiu a incerteza.

Edmundo merece um parágrafo a parte. O Animal correu para a bola. Provavelmente, não houve quem não lembrasse dos seus pênaltis perdidos em momentos decisivos. Ninguém lembrou do último penal que ele cobrou, contra o Goiás, bola na gaveta e golaço. Ele olhou para o canto direito de Fábio Costa e tocou lentamente no esquerdo. O goleirão nem saiu na foto. O Animal que acabara de entrar dara a inteligência que faltava ao Vasco.

O gol puniu o Santos que não foi violento, desleal, porém, promoveu o anti-jogo, fazendo o jogo parar a todo o instante. Seu técnico Márcio Fernandes disse durante a semana que uma vitória salvaria o time do rebaixamento e pelo visto seus jogadores deixaram para resolver isso em casa.  E no fim, o árbitro ainda dá cinco minutos de acréscimo, premiando o time que enquanto levava um ponto estava felicíssimo. A sorte é que o Peixe briga para não cair por motivos óbvios, muito provavelmente os mesmos motivos que fizeram o time não empatar contra a horrenda zaga cruzmaltina.

No fim, 1 a 0 para o Vasco. Que com as derrotas de Figueirense, Portuguesa e Fluminense, mais o empate do Náutico saiu da zona de rebaixamento e agora está na 15ª posição. A salvação ainda está longe. Mas, o Caldeirão pode ter voltado a fazer diferença. Já o Peixe, é bom abrir o olho, três pontos é muito pouca coisa para se dar o luxo de ficar perdendo por aí.

Confira a classificação do Brasileirão

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s