Erro socializado

Jornalismo na internet não é fácil, muitas vezes, a pressa ocasiona em erros terríveis. Claro que nos outros veículos também acontecem deslizes. O grande problema é que muitas vezes eles acontecem em cascata. Ou seja, um primeiro site erra e todos os outros vem atrás. Normalmente, isso acontece com uma “barriga”, ou seja, informação que não procede; mas, pela primeira vez vi essa situação ocorrer com um erro de português. O portal Terra soltou uma nota, às 13h07, com o título: Padastro mata enteada e enterra o corpo nos fundos de casa em SP. Veja o que veio na sequência (para melhor visualização, clique na imagem):

 

Site do jornal O Dia

Site do Jornal do Brasil

Site Fatima News

 

Site Justiça Brasil

Todos esses prints foram tirados na mesma hora, por volta de 0h30 de quarta-feira. Todos mantinham o erro cometido. Menos, o primeiro a pisar na bola, o portal Terra, que nesse horário já tinha corrigido o erro que já tinha ido parar no Kibe Loco.

 

Site do Terra já corrigido

Então fica a dica: se você é redator cuidado. Mas, se no seu caso, o trabalho é coletar notícias publicadas em portais ou agências, cuidado, pois, coleguinha também erra!

Voltar à página inicial do Ideias sem ponto

Anúncios

5 comentários sobre “Erro socializado

  1. Não foi necessariamente um estagiário que fez a cagada, gente.

    Quem trabalha com jornalismo sabe que a qualidade dos profissionais tem caído muito nos últimos anos. Acho que isso está acontecendo até devido a sobrecarga que estes jornalistas vem tendo com os cortes sistemáticos de funções que antes existiam e hoje já não existem. Revisores, por exemplo.

    Além disso, a queda dos salários também gera uma insatisfação nestes profissionais, que passam a trabalhar de maneira cada vez mais descompromissada.

  2. Pior que é cada vez mais comum ver erros de português, escrita, distração ou relaxo mesmo. Já até pensei em uma monografia sobre isso: quantas vezes aparecem erros, mesmo que de digitação, em um caderno da Folha de S. Paulo, jornal tido como referência e exemplo de excelência por tantos outros. Está na hora das empresas pensarem se não vale mesmo a pena ter um pauteiro, um revisor, um redator, um repórter… Enfim, e não um “faz-tudo” que quase nunca dá conta do recado.

  3. Rapaz… dizem que isso é típico de estagiário, mas eu tenho visto tanta coisa desse tipo que me dá a impressão que a redução do custo nesses meios de comunicação está enorme! Só tem estagiário trabalhando!

  4. Eu já tinha visto algo parecido com o texto, mas no título é demais.

  5. Heheheheh… Como se diz por aí, “eu que sei”.
    Como trabalho em agência, tenho que checar cada informação e cada palavra pra não causar essa “cascata” de q vc falou.
    Graças a Deus, nunca aconteceu nada parecido comigo. Tomara que nunca aconteça.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s