De maior campeão a falido, Rangers sobe de divisão na Escócia

Neste sábado, o lendário Rangers conquistou o acesso direto para a Segunda Divisão – que de fato é a terceira – do Campeonato Escocês, ao empatar com o Montrose fora de casa em 0 a 0, e com a derrota do Queen’s Park para o Elgin City, por 1 a 0, conquistando assim o título da competição, com cinco rodadas de antecipação. Esse poderia ser um resultado como outro qualquer, mas se trata do maior campeão do futebol do país, que dois anos atrás comemorava um tricampeonato nacional.

Como a derrota do Queen’s Park aconteceu três horas após o fim do jogo do Rangers, comemoração do título aconteceu já de uniforme trocado

Por algum motivo, que não sei explicar, sempre tive simpatia pelo futebol escocês. E como, por razões profissionais, acompanhei o começo da tragédia do clube, não deixei de segui-la até hoje. Tanto é que, logo que instalei o FM 2013 no meu computador, a primeira providência foi iniciar uma saga com a equipe protestante de Glasgow.

Com profundos problemas financeiros, o clube foi comprado no ano passado pelo empresário Charles Green. Em junho teve falência decretada, após seu plano de viabilidade econômica ser recusado pela Receita britânica.

Com isso, “The Gers” acabou refundado, passando a se chamar The Rangers Football Club Limited. Com essa mudança foi preciso o aval dos 11 rivais da Premier League escocesa, para seguir na competição. No primeiro desafio na temporada, derrota por 10 a 1. Aliás, o único voto a favor da permanência foi do próprio Rangers. O Kilmarnock se absteve de votar. A goleada fez a equipe cair para a quarta divisão, última do futebol profissional do país.

Com a quebra, não foi pequena a debandada. Ao todo, 30 jogadores deixaram o clube na temporada de transferências do verão europeu. Entre as baixas Allan McGregor, Steven Whittaker, Steven Davis, Maurice Edu e Sone Aluko, peças importantes do plantel. Também foram embora reservas, promessas, por aí vai. Dorin Goian e Carlos Bocanegra, dupla de zaga titular em 2011/2012, foram emprestados, para reduzir a folha salarial.

Ficaram veteranos como Neil Alexander, goleiro, e Lee McCulloch, meia e centroavante, que ganhou a braçadeira de capitão. Os dois eternos reservas viraram os pilares da equipe. Jovens revelados no clube também permaneceram, como o zagueiro Ross Perry, o meia Kyle  Hutton, além dos atacantes Barrie McKay e Andrew Little, que antes quase não tinham espaço no elenco.

McCulloch se tornou o craque e o capitão do Rangers

O caso mais emblemático foi o do lateral esquerdo Lee Wallace. Contratado no início da temporada 2011/2012, junto ao Hearts, o defensor não só permaneceu no clube, como estendeu seu contrato até 2015. O jogador, que vinha conquistando espaço na seleção escocesa, acabou relegado a segundo plano, ficando fora de várias listas.

Com a saída de Craig Levein do cargo de técnico de seleção, para dar lugar a Gordon Strachan, a situação melhorou para Wallace, que voltou a ser convocado para o amistoso contra a Estônia, em fevereiro. O lateral, no entanto, ficou fora da lista de selecionados para os jogos contra País de Gales e Sérvia,em março, pelas Eliminatórias europeias para a Copa do Mundo de 2014.

Entre os muitos contratados com a missão de ajudar na reconstrução do Rangers está um brasileiro, o zagueiro Emílson Cribari. Revelado no Londrina,  tendo desembarcado na Itália aos 18 anos, defendendo no país as camisas de Empoli, Udinese, Lazio, Siena e Napoli, o paranaense chegou ao clube em julho. A transferência aconteceu um ano depois de quase ser contratado, quando ainda estava no futebol italiano. Seu acerto se concretizou após fracassada volta ao Brasil, para defender o Cruzeiro.

Experiente, Cribari chegou como contratação de peso da equipe

Na temporada, o defensor se tornou titular da equipe, e foi um dos jogadores mais utilizados na temporada, fazendo 29 partidas (até 31 de março). Antes do fim da temporada, Cribari admitiu à imprensa italiana que tinha desejo de cumprir os dois anos de contrato firmado com o clube escocês.

Fracasso nas Copas

Na atual temporada, o Rangers tinha um total de quatro competições para disputar: a quarta divisão, a Copa da Escócia, a Copa da Liga, e a Copa Challenge – torneio disputado pelos times da segunda, terceira, quarta e quinta divisões.

Depois do furacão que mudou a sua história, a estreia do clube foi justamente na Challenge. Vitória na prorrogação sobre o Brechin, da terceira divisão, por 2 a 1, com McCulloch selando a vaga. Na segunda fase a equipe eliminou o Falkirk, da segunda divisão, mas parou nas quartas de final, eliminado pelo Queen of the South, nos pênaltis.

Na Copa da Liga, o clube também caiu nas quartas de final, mas foi nesta competição que obteve seu resultado mais expressivo na temporada, vencendo o Motherwell, terceiro colocado na última edição da primeira divisão, por 2 a 0, com gols de McCulloch, sempre ele, e Dean Shields. Antes, a equipe eliminara o East Fife, da terceira divisão, e novamente o Falkirk. A dolorosa eliminação veio contra o Inverness C. T., da primeira divisão, com derrota em casa por 3 a 0.

Temporada sem “Old Firm”

Na Copa da Escócia, que poderia colocar o Rangers na Liga Europa na próxima temporada, em caso de título, a eliminação aconteceu nas oitavas de final. Foi no torneio, contudo, que o time de Glasgow aplicou a maior sua maior goleada na temporada, sobre o Alloa Athletic, atual campeão da quarta divisão, por 7 a 0, na segunda fase. Antes, vitória sobre o Forres Mechanics, da quinta divisão, por módico 1 a 0. Na terceira fase, a vítima foi o Elgin City, também da quarta divisão.

Clássico histórico, The Old Firm não foi disputado em 2012/2013

O Rangers caiu ao perder para o Dundee United, uma das mais tradicionais equipes do país, por 3 a 0, fora de casa. A derrota, sofrida no dia 2 de fevereiro, aliás, acabou com a chance de haver a “Old Firm”, ou seja, o clássico contra o Celtic um dos mais tradicionais do mundo, que completou 125 anos em março deste ano. Assim, pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial, quando o Campeonato Escocês ficou suspenso entre 1939 e 1946, os rivais não se encontram em uma temporada.

Na quarta divisão, não podemos dizer que a equipe encontrou grandes dificuldades, apesar do início irregular. Talvez pela falta de ambientação ao torneio, e desentrosamento do time, o Rangers demorou a engrenar. Só não perdeu na estreia para o Peterhead, devido a um gol de Litte, aos 45 minutos no segundo tempo, que garantiu o empate em 2 a 2.

Até a sétima rodada foram três vitórias, três empates e uma derrota – para o Stirling Albion, justamente no sétimo jogo, por 1 a 0. Ainda assim, na rodada seguinte, a vitória sobre o Queen’s Park por 1 a 0 fez a equipe assumir a liderança – que já tinha alcançado na segunda rodada é verdade. Daí em diante, o Rangers não saiu mais do topo. Além da vitória sobre a equipe vizinha, foram outras 10 em sequência.

Aliás, vale abrir um parágrafo para falar rapidamente sobre o Queen’s Park, o primo pobre de Glasgow, que joga no Hampden Park, casa dividida com a seleção do país. O time é amador por princípios, adotando o lema “jogar pela razão de jogar”. Terceiro maior campeão da Copa da Escócia com 10 títulos – o último em 1893 -, o clube revelou um tal de Alex Ferguson, um jovem atacante que vestiu a camisa da equipe dos 16 aos 19 anos (1957 a 1960).

Na reta final, o Rangers navegou tranquilo. Chegou a se manter por 20 jogos invictos, até perder para o Annan Athletic, por 2 a 1, na 28ª rodada. Claro que nem tudo foram flores, já que dirigentes foram acusados de manipular relatórios financeiros do clube, e até mesmo por uma pegadinha que pegou no flagra o atacante espanhol Francisco Sandaza, e provocou a ira de torcedores. Aliás, a galera aproveitou o jogo contra o Stirling para pegar no pé dos jogadores que se dedicam ao Twitter.

Protesto da torcida do Rangers contra jogadores tuiteiros

A comemoração pelo acesso e o título da temporada ficaram por uma rodada entalados na garganta do torcedor, e graças ao Queen’s Park a situação não foi pior. No dia 23 de março, pela 30ª rodada, o Rangers precisava de uma vitória para garantir matematicamente seus objetivos, mas acabou empatando com o Stirling em 0 a 0. Na rodada seguinte, novamente dependendo apenas de si, o clube abriu a rodada empatando com o Montrose, também sem gols. Foi preciso que o vizinho de Glasgow perdesse para o Elgin City, por 1 a 0, com gol de pênalti de Stuart Leslie, para que o grito pudesse ser solto da garganta, e o “Teddy Bears” pudesse enfim celebrar o primeiro acesso de sua história.

No virtual, o Rangers já voltou a elite

No mundo virtual, “meu” Rangers no FM 2013 vai bem obrigado. Aliás, fica aqui uma dica para quem gosta do jogo. É um ótimo desafio. A primeira temporada foi bem parecida com a que o time real fez. Da quarta divisão passei com folga e fui discreto nas Copas. O elenco é basicamente o mesmo, exceto por Pascal Chimbonda, lateral direito francês, e um ou outro jogador que trouxe para o time reserva ou de base

A partir daí, o ‘save’ trás uma dificuldade interessante. Como o as receitas são curtas, cada ano que passa, você tem menos dinheiro para trabalhar. Na segunda temporada a queda não chega a ser brusca, por isso nem cheguei a precisar mexer muito no elenco. A caminhada para o título da terceira divisão foi tranquila, apesar de admitir que às vezes batia um tédio, com tantos jogos como favorito. Cheguei a pensar se não é algo que acontece ou acontecerá com a equipe real.

Ainda em 2013/2014, no entanto, um momento de êxtase, mais precisamente nas quartas de final da Copa da Escócia, contra ninguém menos que o Celtic. Jogo no Ibrox Stadium, com todas as características de um clássico: brigado, cheio de faltas, poucas chances de gol. Até que aos 49 minutos do segundo tempo, falta na entrada da área, e o meia holandês Kyle Ebecilio (que acabara de ser contratado por empréstimo junto ao Arsenal), cobra com perfeição e garante a vitória por 1 a 0. Pena que nas semifinais veio a eliminação, ao perder nos pênaltis para o Kilmarnock.

Vitória heróica sobre o Celtic, pelas quartas de final da Copa da Escócia

Na terceira temporada, último degrau antes da divisão de elite, aí o cinto da diretoria apertou de vez. Por sorte, Chimbonda, Cribari e McCulloch anunciaram a aposentadoria, o que deu uma folga grande na folha salarial. Entre as contratações, a grande novidade foi Dátolo, emprestado pelo Internacional por seis meses – jogador que na verdade não fez muita diferença até ser devolvido. Durante a temporada chegou o goleiro da seleção escocesa Craig Gordon, que havia sido dispensado pelo Everton.

E por mais que vários jogadores tenham chegado por empréstimo, sem custo algum, quem começou a se destacar foram jogadores como o zagueiro Luca Gasparotto, o centroavante McKay. O craque do time passou a ser o meia-atacante David Templeton, titular desde a primeira temporada, sendo artilheiro da equipe e melhor jogador da segunda divisão.

O acesso para a divisão de elite veio sem qualquer tipo de dificuldade, com sete rodadas de antecipação, na vitória sobre o Ayr, por 1 a 0. Mesmo com o título da segunda divisão, o grande momento da temporada 2014/2015 veio na Copa da Escócia. Depois de eliminar St. Mirren, Kilmarnock e Hibernian, na final o Rangers encarou o Dundee United, vice-campeão da primeirona.

Vitória por 2 a 0, gols de McKay e Dean Marney. Assim, além de terminar os três anos de sofrimento nas divisões de acesso, com os objetivos conquistados, ainda foi possível garantir uma vaguinha na Liga Europa, recolocando o Rangers de volta ao cenário internacional.

Anúncios

Um comentário sobre “De maior campeão a falido, Rangers sobe de divisão na Escócia

  1. hehe…mto bom…viva o rangers, viva o clube protestante!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s