Quem vaia Diego Costa, bom sujeito não é

Diego Costa é brasileiro. Na primeira partida em que disputou por uma Copa do Mundo, justamente no país em que nasceu, foi xingado e ofendido. Sua mãe, dona Josileide, chorou durante a partida disputada na Arena Fonte Nova, em Salvador. Tudo por o jogador estar utilizando a camisa da seleção espanhola de futebol.

Foto: Divulgação

Diego Costa escolheu a seleção da Espanha, sem renegar o Brasil

Continuar lendo

Anúncios

“Fantasma” deixa jornalistas neuróticos na Granja Comary

Pela primeira vez faço parte da cobertura de treinos da seleção brasileira, e confesso que me impressionei com a existência de um “fantasma” na tribuna de imprensa: o do corte por lesão. A sensação é de que todos estão previamente tensos porque irão acompanhar o drama de algum jogador contundido antes da Copa do Mundo. Continuar lendo

Não vai ter Copa…para eles

Em cada edição de Copa do Mundo, uma legião de craques desembarca no país-sede para disputar a competição. Enquanto isso, diversos ótimos jogadores assistem o torneio pela televisão por uma série de motivos. Os mais comuns costumam ser os que falham com suas seleções nas Eliminatórias ou os que sofrem lesões. Só que existe mais um grupo, o dos ótimos jogadores que não convenceram os técnicos de suas equipes nacionais a colocá-los na lista dos 23 convocados para o torneio. É claro que no Mundial do Brasil isto também irá acontecer.

A seguir, seguem alguns jogadores que vivem ótimo momento, mas não deverão vir ao Brasil: Continuar lendo

Catar: A Copa do Mundo que não será?

O mês é novembro e o ano é 2021. O anúncio de uma reunião entre federações filiadas à Uefa deixou a Fifa de cabelo em pé. A pauta era uma retirada em massa da Copa do Mundo de 2022, devido à imagem negativa do Catar diante da comprovação das irregularidades nas eleições para sediar a competição, e dos diversos processos trabalhistas movidos por organizações internacionais.

Continuar lendo

Hangout: as sedes da Copa do Mundo de 2014

Participei nesta terça-feira de um hangout promovido pela Central do Futebol, que discutiu a estrutura das sedes da Copa do Mundo de 2014. Luís Paulo Knop, do blog Resenha Esportiva, comandou o papo, que ainda contou com José Henrique Mota, do blog Canelada, e Marcelo Prata, produtor do Esporte Espetacular. Confiram como foi esta conversa:

Proposta de calendário para o futebol brasileiro

Na semana passada publiquei aqui no blog um texto em que defendo a extinção dos Campeonatos Estaduais para proporcionar um calendário mais racional para o futebol brasileiro. Em diversos fóruns, a discussão foi quente e produtiva, como o assunto merece. A partir disso, resolvi montar minha proposta definitiva, sem os Estaduais, e com o Brasileirão tomando o ano todo. Você a confere logo abaixo.

Continuar lendo

Quer futebol-arte? Chama os alemão!

No meio de tantos pensamentos sobre um novo post para escrever, vi que não citei a Alemanha como uma das favoritas para a Copa do Mundo de 2014 no Brasil, em análise que publiquei sobre a seleção italiana. Imperdoável. A intenção das linhas a seguir não é me redimir, não, não. Nem mesmo fazer oba-oba com o futebol do país de Bayern de Munique e Borussia Dortmund, que nesta semana atropelaram Barcelona e Bayern de Munique, pela Liga dos Campeões da Europa, e que tem tudo para fazer uma final caseira na competição continental.

Alemães mostraram nesta semana que estão dispostos a tomar de assalto o futebol mundial

Continuar lendo

Teoria da conspiração mode on

Fifa queria um grande teste no Maracanã antes da Copa das Confederações.
Globo teria tentado transferir final do Estadual para o Maracanã.
FFERJ rejeitou pedido e garantiu o jogo no Engenhão.
Oderbrecht informa ao prefeito Eduardo Paes que há um problema na cobertura do Engenhão.
Prefeitura do Rio decide então interditar o Engenhão por tempo indeterminado.

A crise que faz bem para a ‘Squadra Azzurra’

Falta pouco mais de um ano para a Copa do Mundo do Brasil. Claro que ja podemos cravar alguns favoritos, como Espanha, Alemanha, Argentina e claro, o anfitrião Brasil. Os italianos, ainda fora dessa lista, obviamente não serão meros figurantes, não apenas pelo peso de sua camisa, mas também por um processo de crescimento que faz parte de um fenômeno de ” renacionalização” dos clubes do país. Continuar lendo