Acadêmicos da Boleiragem: nota 10!

Carnaval é festa, é alegria, mas nem todo mundo gosta. Quando chega essa época do ano, muita gente encontra refúgio no futebol para passar tranquilo os dias do Reinado de Momo. Para contextualizar com a folia, nada melhor do que tentar mostrar quem é melhor em alguns quesitos, que podem ser levados da avenida para dentro do gramado. Continuar lendo

Zico abre as portas de casa para família de pequeno xará

No Brasil, uma nação eternizou um nome: Arthur (mas pode ser Artur também, não tem problema). Incomum é o flamenguista fanático que não batiza algum dos filhos com o nome de Zico, maior ídolo da história do clube da Gávea. Não são todos, no entanto, que recebem convite do Galinho para visitá-lo com o pequeno xará. Foi o que aconteceu neste domingo com Luiz Paulo Cabral, administrador de empresas, que vive em Juiz de Fora, em Minas Gerais.

Zico brinca com o pequeno xará juiz-forano

Continuar lendo

Sobre a “39ª rodada” do Brasileirão

Última coisa que quero comentar sobre a “39ª rodada do Brasileirão” (prometo não falar sobre o assunto nem mesmo o resultado do julgamento):

Imaginemos duas situações. A primeira, com o Palmeiras brigando para subir da Série B ponto a ponto com o Icasa. Aí, na última rodada, os dois ganham seus jogos e o time cearense sobe. No dia seguinte, surge a informação da escalação de um jogador que estava suspenso, que entrou aos 32 minutos do segundo tempo e teve atuação apagada.

A segunda, envolveria o Flamengo. Depois de perder a final da Copa do Brasil para o Atlético Paranaense, é divulgado que o clube rival relacionou para o jogo um atleta que disputou a primeira fase pelo Itabaiana.

Vocês defenderiam que os infringentes fossem punidos e que seus times não fossem favorecidos, no caso Palmeiras subindo e o Flamengo ficando com o título?

Quem torce para outros clubes, pense em situações semelhantes e resposta.

E outra, antes que comecem a desviar o foco: sou contra o recurso do Vasco, acho que a decisão correta era não ter voltado para o campo.

Só que, todos os 20 clubes que disputaram o Campeonato Brasileiro assinaram o regulamento e aceitaram o Código Brasileiro de Justiça Desportiva como documento que “dissipa” os casos não-resolvidos.  Então, não adianta chorar.

Flamengo pode ter gasto R$ 5,45 milhões com técnicos desde janeiro

Empossada no início deste ano, a nova diretoria do Flamengo é sempre elogiada pela sua palavra-chave: “austeridade”. Com uma das maiores dívidas do país, o clube precisava de um esforço gigantesco para sair do buraco. Em diversos pontos isso parece estar sendo feito.

Chama atenção, no entanto, os gastos com técnicos desde janeiro. Dorival Júnior – herança da administração Patrícia Amorim – foi o primeiro a cair, supostamente por não aceitar renegociar salário. Em março quando foi demitido a imprensa noticiou que ele receberia R$ 450 mil por mês e que em junho o valor subiria para R$ 750 mil. Recebeu por três meses, totalizando assim R$ 1,35 milhão.

Há mais de uma versão sobre sua multa rescisória. Inicialmente foi publicado que a diretoria esperou que o valor caísse de R$ 1,8 milhão para R$ 800 mil. Ontem, foi nova notícia apontou que o valor, na verdade, seria de R$ 3,2 milhões.

Veio Jorginho e o clube passou a gastar menos na folha de pagamentos, pois o técnico receberia, segundo a imprensa, R$ 300 mil. Como ficou apenas dois meses, o valor total de salários foi de R$ 600 mil. Além disso, o combinado pela rescisão seria de mais um salário apenas.

Assim, no total, o valor estaria variando – dependendo da cláusula rescisória de Dorival – entre R$ 3,05 milhões e R$ 5,45 milhões. De qualquer forma, muito para seis meses, e ainda mais para quem deseja ser austero.