“Fantasma” deixa jornalistas neuróticos na Granja Comary

Pela primeira vez faço parte da cobertura de treinos da seleção brasileira, e confesso que me impressionei com a existência de um “fantasma” na tribuna de imprensa: o do corte por lesão. A sensação é de que todos estão previamente tensos porque irão acompanhar o drama de algum jogador contundido antes da Copa do Mundo. Continuar lendo

Anúncios

30 mil!

O Quatro Linhas comemora nesta sexta-feira a marca de 30 mil acessos desde a criação em novembro de 2008. Depois de muitas idas e vindas, o número é motivo de muita satisfação principalmente porque mais de 17 mil destas visualizações aconteceram desde janeiro do ano passado, quando uma nova fase começou, com a identidade visual que você confere hoje em dia.

Para mim, Bruno Guedes, que comando este espaço – agora aberto a colaboradores, que é outro orgulho -, é um imenso prazer fazer este post. Os números podem ser modestos para muitos, como, por exemplo, os 111 acessos desde ontem até este momento do despretensioso texto “Não vai ter Copa…para eles“, em que apresento alguns grandes jogadores de países classificados para a Copa do Mundo, que não estarão no Brasil. Ótimo para um blog que não está em um portal, tem divulgação basicamente feita nas redes sociais, direcionada aos amigos.

Esta semana para o Quatro Linhas foi absolutamente especial por esta marca e também pela publicação do texto “Um dia de travessura – É assim que nascem as paixões” de autoria do publicitário Luiz Bianco, sobre a experiência de assistir um jogo do Juventus na Rua Javari. Foram mais de 550 acessos em quatro dias, e mais importante do que isso, uma enxurrada de comentários. Diversas foram as pessoas tocadas pela lembrança de um dia ter ido ver o Moleque Travesso de perto, ou pelo estímulo de ter essa experiência.

É isso que esse espaço pretende ser, um lugar em que se encontram grandes histórias, personagens interessantes, e que vá muito além do esporte nas quatro linhas.

Obrigado a cada um que veio até aqui, que curtiu, compartilhou, indicou. Voltem sempre!

História de Bruno Ribeiro no Esporte@Globo de BH

Desde o momento em que o texto com a história de superação do jornalista Bruno Ribeiro foi ao ar, a repercussão era enorme, com muita gente interessada em divulgá-la.

No mesmo dia, o repórter da Rádio Globo de Juiz de Fora deu entrevista para o programa Esporte@Globo da Rádio Globo do Rio de Janeiro (ouça aqui), comandado por Édson Mauro. No dia seguinte, eu e meu xará conversamos com a galera de outro Esporte@Globo, desta vez o de Belo Horizonte.

Confiram o papo na íntegra: https://soundcloud.com/bruno-guedes-45/brunos-no-esporte-globo

Hangout: as sedes da Copa do Mundo de 2014

Participei nesta terça-feira de um hangout promovido pela Central do Futebol, que discutiu a estrutura das sedes da Copa do Mundo de 2014. Luís Paulo Knop, do blog Resenha Esportiva, comandou o papo, que ainda contou com José Henrique Mota, do blog Canelada, e Marcelo Prata, produtor do Esporte Espetacular. Confiram como foi esta conversa:

Com olhar renovado, repórter celebra “milagre” na primeira rodada do Mineiro

Por Bruno Guedes.

O Tupi estreou no Campeonato Mineiro neste domingo, empatando com o América no estádio Independência em 1 a 1. Fora das quatro linhas, ao menos uma pessoa pôde se sentir vencedora: o repórter Bruno Ribeiro, da Rádio Globo de Juiz de Fora, que acompanhou tudo com um novo olhar, graças ao que define como “milagre”.

Bruno Ribeiro, antes do clássico entre Atlético e Cruzeiro que reinaugurou o Mineirão

Continuar lendo

Uma tarde de horror promovida por uma polícia irresponsável

A pauta hoje era México x Itália. No fim do dia, a maioria das matérias acabaram não sendo especificamente sobre futebol. Como já sabíamos previamente, aconteceria mais uma manifestação – que de forma bem leve, não tem nome, não tem liderança, não tem reivindicação definida – política. E nesse 16 de junho acabei assistindo lamentáveis cenas. O entorno do Maracanã foi transformado em uma praça de guerra, tudo devido a ação irresponsável da polícia. Continuar lendo

Um ano de monografia!

Muitos amigos estão defendendo seus trabalhos de conclusão de curso, e isso me fez bater uma dúvida, de quando completará um ano da minha apresentação. Eu acho bem possível que foi no dia 10 de dezembro de 2009, que, aos professores Márcio Guerra, Álvaro Americano e Ricardo Bedendo, defendi a monografia “Palavra Fácil: história e análise da função do comentarista de futebol”.

No trabalho levanto, através de entrevistas a gênese da função do comentarista, nas transmissões do futebol, primeiro no rádio e depois na televisão. Através de depoimentos de feras como Luís Mendes, Erich Betting, Gerd Wenzel, Francisco Aiello, entre outros; traço um paralelo desse personagem da transmissão e do avanço dos meios de comunicação.

Em comemoração (rs) a esse primeiro ano de aniversário, resolvi disponibilizá-la na internet, para quem quiser fazer o download. Peço, para todos que o fizerem, que deêm retorno com a sua opinião, e em caso de citação posterior, também avisem, por favor.

Para quem quiser baixar, é só clicar AQUI!